2009-03-12

Andar a Pé!!!




Pés em forma

Sustentam todo o nosso peso, percorrem vários quilómetros por dia e só lhes ligamos quando doem! Saiba como manter os pés saudáveis, antes de viajar ou fazer grandes caminhadas


Texto de Vera Saldanha Ilustração de André Kano


Os nossos pés são uma "obra de engenharia" muitíssimo sofisticada. Cada um deles é um mecanismo complexo formado por 26 ossos, sustentados por uma rede de mais de uma centena de ligamentos, tendões e músculos - tudo isto disposto de forma a criar uma série de arcos dinâmicos que suportam o peso do corpo. Cada vez que damos um passo, os pés amortecem um impacto equivalente ao dobro desse peso, valor que se multiplica por três ao correr.
A nossa actividade diária habitual sujeita os pés a um esforço enorme: mais de 20 mil passos por dia e uma carga diária de cerca de 100 toneladas, tudo isto fechados durante praticamente dois terços da nossa vida dentro de sapatos quase sempre pouco adequados.

Os pés têm também um papel importante na manutenção de uma circulação saudável, pois a cada passo que damos as contracções dos músculos da barriga da perna ajudam o sangue a regressar ao coração. Andar a pé é uma actividade muito recomendável, desde que se tenha o cuidado de usar sapatos adequados, de boa qualidade, e de manter uma boa postura.

Prepare-se para andar
O estilo de vida moderno obriga-nos a passar a maior parte do tempo sentados, seja a trabalhar numa secretária, no sofá de casa a ver televisão ou a conduzir o automóvel. Nem sempre estamos preparados para as grandes caminhadas que fazem parte de qualquer viagem - e nem é preciso ser uma viagem de turismo-aventura, basta passar uma tarde inteira a fazer compras na 5.ª Avenida, em Nova Iorque, ou a percorrer todas as salas do Museu do Louvre para chegar ao fim do dia com os pés bastante maltratados.

As dores nos músculos da barriga das pernas podem dever-se ao esforço extra, mas a maior parte das maleitas dos pés - bolhas, feridas, inchaços, calosidades - está relacionada com calçado inadequado. Um bom par de sapatos é uma condição fundamental para garantir o bem-estar no dia-a-dia. Os modelos de festa são a excepção, mas também não se usam com frequência, nem durante muito tempo seguido. Para o quotidiano, vale a pena investir na qualidade e fazer um esforço para conciliar o melhor possível moda e conforto.
Em viagem, mesmo que se trate de uma estadia curta, convém levar dois tipos de sapatos: um par mais confortável e outro, mais elegante, para usar à noite. Se já sabe que vai andar mesmo muito a pé, o mais seguro é comprar um par de sapatos próprios para marcha, numa loja de desporto.

Sapatos confortáveis
Os sapatos e botas para o dia-a-dia devem ter saltos baixos, apoiar firmemente a parte de trás do pé e ser suficientemente largos para o acomodar confortavelmente, sem ficarem soltos. As solas devem ser flexíveis, para que o pé se movimente à vontade e exercite naturalmente os tendões, ligamentos e músculos de apoio. Os materiais sintéticos são de evitar, porque não deixam o ar circular, estimulam a transpiração e criam uma humidade favorável ao desenvolvimento de fungos. Pele, couro ou lona são as opções mais saudáveis.
Não convém usar saltos altos para grandes caminhadas, pois o facto de andar muito tempo com o calcanhar levantado impede a distribuição correcta do peso do corpo. A longo prazo isto origina problemas de postura, dores nas costas e nos pés e agrava os joanetes.

Lembre-se de que os membros inferiores incham com o calor e quando se passa muito tempo de pé, pelo que não convém usar sapatos apertados ou estreitos à frente para passear. Aliás, as formas muito estreitas nunca são uma boa opção, porque favorecem a formação de calosidades entre os dedos.

Cuidado básicos de higiene e conforto

Corte as unhas curtas e a direito, para que não encravem. Se tem calos, vá regularmente a um pedicuro para os eliminar e evitar o reaparecimento.
A pele da planta do pé é a mais espessa de todo o corpo e sofre a fricção constante dos sapatos e meias. Por isso, deve ser diariamente amaciada e nutrida com um creme específico.
Massaje os pés todas as noites, depois do banho, com o creme de tratamento ou um óleo perfumado. Usando as duas mãos, em movimentos simétricos, exerça pressões suaves na zona plantar até ao calcanhar e massaje os tornozelos com gestos rotativos.
Em caso de aspereza extrema, aplique uma dose extra de creme, calce umas meias de algodão e durma assim.
Calos e unhas encravadas devem ser tratados por especialistas. Não tente resolver a situação sozinho, pois pode causar uma infecção grave. Alise a pele com pedra-pomes no banho ou use adesivos calicidas, mas evite produtos muito abrasivos.
Não use os sapatos em contacto directo com a pele, pois é bolha certa. Use meias ou collants sem costuras ou com costuras planas nos dedos, para não os magoar e, de preferência, em fibras naturais (como o algodão)..

3 comentários:

  1. Texto bom e de leitura fácil e acessível. Gostei de ler.
    Além disso fiquei a saber que eu trato muito bem os meus pézinhos, pois faço quase tudo o que aí é dito... sou uma amigona para com as minhas bases de suporte! eheheh
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Uau, este post veio mesmo a calhar para quem dança e usa muito os pés... Tenho que passar a tratar deles com mais cuidado!

    Massajá-los todas as noites parece-me uma excelente ideia! :)

    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Eu tenho um prob até grandinho no pé!!!:S

    mas isto ha-de passar um dia!!

    obrigada pelas dicas querida!!!!

    beijinho

    ResponderEliminar

Bem vindos são aqueles que vierem por bem!

Para Rir

Mulher gorda é que nem Ferrari… quando sobe na balança vai de zero a cem em um segundo.